Desenvolveu na calcografia gravura em metal tudo o que foi possível, valendo-se de soluções básicas e imprescindíveis, como a água forte, a água tinta, o relevo impresso a cores em suas composições abertas ou fechadas e de uma exemplar impressão.

Fragmento do texto de Armando Almeida

Clique para ler texto completo

Armando Almeida sobre a artista Simone Bernardi

 

Armando Almeida, Porto Alegre, 22 de setembro de 2004

Toda Geração carrega suas particularidades, gravando e inserindo contextos próprios e inerentes aquele(s) período.

Me lembro bem a geração dos anos 80-90, assim como outras anteriores e posteriores foram também expressivas pela liberdade de errar, inventar, experimentar, dialogar, fazer argumentos de imagens e processos criativos.

Simone Bernardi pertenceu a uma destas gerações. Desenvolvemos juntos uma dinâmica muito forte de trabalho, desempenho artesanal e aprimoramento técnico.

Desenvolveu na calcografia gravura em metal tudo o que foi possível, valendo-se de soluções básicas e imprescindíveis, como a água forte, a água tinta, o relevo impresso a cores em suas composições abertas ou fechadas e de uma exemplar impressão.

Participou ativamente de vários eventos de expressão, o que lhe proporcionou merecidamente algumas premiações e destaques. Eram gravuras de pequeno formato, mas Simone foi capaz de fazer uma grande gravura.